Thursday, February 2, 2023

Web3 dá uma chance aos criadores em mercados emergentes, diz CEO da Faro Company

189
SHARES
1.5k
VIEWS

Embora a indústria de entretenimento e produção ainda seja dominada principalmente pelo Ocidente, programas como o Squid Game demonstram uma oportunidade para produções não ocidentais decolarem no cenário internacional. Com alguma ajuda da Web3, criadores de mercados em desenvolvimento podem encontrar seu caminho para um estágio maior, de acordo com um especialista na indústria do entretenimento.

Em uma entrevista ao Cointelegraph, Mehmet Eryılmaz, CEO da equipe Faro Company, focada em entretenimento, da Web3, compartilhou seus pensamentos sobre como a Web3 pode contribuir para o desenvolvimento do entretenimento em países emergentes. Segundo o executivo, as empresas de mídia e entretenimento têm sido atormentadas por gatekeepers, que muitas vezes não conseguem representar adequadamente outras culturas. Ele explicou que:

“Essa exclusão não apenas reflete o tipo de história que está sendo contada, mas também proíbe que a história completa seja contada. Como criaturas sociais, todos nos sentimos validados em nossa autoestima ao nos ver refletidos na tela.”

É aqui que o Web3 entra em jogo. Eryılmaz disse que a Web3 pode oferecer aos de mercados emergentes uma oportunidade igual de mostrar adequadamente sua cultura ao mundo por meio de filmes e música. Ele disse que:

“A Web3 oferece aos criadores e produtores em mercados emergentes a chance de nivelar o campo de jogo, ignorando as estruturas de financiamento e tomada de decisão altamente centralizadas existentes.”

O executivo acredita que o futuro cenário da mídia pode ser revolucionado por redes descentralizadas, contratos inteligentes e tecnologia de tokens. Isso ocorre porque a tecnologia Web3 permite que o fracionamento de investimentospermitindo que qualquer pessoa se torne coproprietária do conteúdo.

Eryılmaz também destacou que a Web3 desencadeia o que ele descreve como uma economia de propriedade que usa a tecnologia para distribuir valor econômico a uma comunidade global.

Relacionado: Executivo da Samsung Next argumenta que projetos Web3 devem enfrentar o desafio da utilidade

Além destes, o CEO destacou ainda que a Web3 também resolve a questão da distribuição de lucros para criadores de conteúdo. Como sua função inerente permite várias maneiras de angariar fundos, o Web3 também pode resolver os problemas orçamentários dos criadores. Eryilmaz disse:

“O Web3 é extremamente empolgante para os criadores de conteúdo, libertando-os do gatekeeping tradicional e da distribuição injusta de lucros. […] A Web3 já provou ser uma ótima e eficiente alternativa para projetos de crowdfunding de entretenimento e angariação de fãs.”

Eryılmaz também compartilhou que sua empresa Faro Company existe por causa das razões que ele estabeleceu anteriormente e utiliza o Web3 para resolver os problemas que ele descreveu. “A missão de Faro é contar histórias locais originais, apresentando diversos contadores de histórias e talentos para o público global. Acreditamos na universalidade de uma boa história”, disse.

O executivo compartilhou que sua equipe acredita em um futuro melhor, onde os criadores têm a mesma oportunidade de compartilhar suas histórias, de onde quer que sejam. Ele disse: “De certa forma, queremos ser o farol da possibilidade para os criadores de países que não têm uma indústria de conteúdo mainstream e/ou independente estabelecida”.